Tipos de Fundações: Sapata Corrida

Se você quer saber mais sobre o tipo de fundações sapata corrida, temos uma boa notícia para você. Aqui neste artigo você verá tudo o que precisa saber sobre o assunto para melhor realizar seus projetos.

Curioso? Então vamos ao que interessa.

O que é a Sapata corrida?

A sapata corrida é um tipo de fundação usada para suportar cargas oriundas de elementos contínuos, que contam com cargas distribuídas linearmente, tais como muros, paredes e outros elementos alongados.
Como se trata de uma fundação rasa, toda a sua escavação normalmente não necessita de do uso de máquinas, podendo ser a mão. Normalmente ela é executada com concreto ciclópico (o concreto e pedras de mão).
Esse tipo de fundações é empregado geralmente para receber as ações verticais de muros, paredes e elementos alongados que transmitam o carregamento uniformemente distribuído em uma só direção.
Sua dimensão é similar à de uma laje armada em uma direção. Não é preciso fazer a verificação da punção em sapatas corridas por receberem ações em focos distribuídos.
Como as bielas de compressão são íngremes, as tensões de aderência elevadas na armadura principal acabam aparecendo, e isso pode acarretar em uma ruptura do concreto de cobrimento, o que gera fendas, essas que podem ser evitadas usando diâmetros menores para barras e espaçamentos menores entre elas.
Sua execução é de um nível bem fácil, não sendo necessário grande esforço, podendo ter seus poços cavados até mesmo à mão, dependendo do projeto arquitetônico, e de fundura rasa, como já mencionado anteriormente.

Diferença entre Sapata Corrida e Vigas Baldrame

Vigas Baldrame é o tipo de fundação mais comum atualmente. Ela constitui-se de uma viga, podendo ser de alvenaria, de concreto simples ou armado construída de forma direta no solo, dentro de uma pequena vala.
Geralmente esse tipo é mais empregado em casos de cargas leves, tais como residência construídas sobre solo firme.
Sabe-se que alicerce é a base que sustenta a casa, dá solidez e transmite para o terreno toda carga da mesa (sendo o peso das paredes, lajes, telhados, etc.).
O alicerce bem projetado e feito ajuda a evitar que surja coisas como trincas nas paredes, e evita o surgimento de umidade na parte de baixo das mesmas.
Se você quer saber mais sobre as vigas baldrames, já fizemos um artigo explicando melhor. Acesse-o clicando aqui.
A sapata, por sua vez, é a preferida onde o baldrame não chega a ser recomendado, quer através do peso do prédio ou pela baixa resistência do solo.
A sapata é um bloco de concreto bem armado construído de forma direta sobre o solo dentro de uma escavação.
Isto costuma acontecer se o peso da casa é muito grande (como em sobrados) ou quando a mesma é construída em terrenos fracos.
Em casos assim, deverá ser adotada a sapata como o tipo de fundação. Ela pode ser do tipo SAPATA CORRIDA ou SAPATA SIMPLES.

Qual a vantagem da sapata corrida sobre a simples?

A sapata corrida tem forma contínua, ou seja, percorre por todo o comprimento da parede.
A vantagem no custo dela é que ela pode ser confeccionada em alvenaria e não precisa de vigas e pilares para a sustentar o peso da parede e do telhado.
No entanto, precisamos lembrar que a alvenaria precisa ser toda com tijolo maciço, amarrações entre as paredes em “L” e “T”, forro de gesso, estuque ou lambril, quando há vãos pequenos podendo até utilizar laje pré.
A desvantagem no custo de uma sapata simples em comparação a sapata corrida, é que ela precisa de baldrames, vigas e pilares (colunas) para poder fazer a distribuição e a concentração de todo o peso das paredes, laje e telhado.
Mas ela é o tipo de fundação que proporciona mais resistência em casos de moradias com mais de um pavimento (como os sobrados).

Quais as vantagens de usar a sapata corrida?

As vantagens do uso da sapata corrida como fundação são:

  • Baixo custo
  • Versatilidade
  • Rapidez de execução
  • Capacidade de construção sem a necessidade de peças e ferramentas especias no canteiro
  • Pode ser executada toda com pouca escavação e baixo consumo de concreto.

Passo a passo

Agora, que tal darmos atenção a um passo a passo sobre a realização?
É preciso, antes de tudo, ter conhecimento para poder realizar a sapata corrida em uma construção, mas é importante saber como e quais são os materiais importantes para a realizar a mesma.

Passo 1# – Medir o terreno

Nosso primeiro passo é abrir uma vala de 20 cm de largura além da espessura das paredes que deverão ser construídas. A largura total dessa vala não pode ser inferior a 40 cm e nem ultrapassar um metro.
No caso de o terreno ser inclinado, essa vala deve ser cortada em degraus, levando em consideração uma linha imaginária de pelo menos 10% de inclinação.
Feito isso, é preciso amassar o fundo da vala, fazendo sua superfície ficar compactada e uniformizada.
Em seguida, piquetes são cravados ao longo de sua extensão – eles servirão de referência para que o lastro de concreto fique nivelado e uniforme.
Logo depois, deve ser jogada uma camada de 10 cm de brita no fundo da vala, que deverá ser bastante socada, até que penetre na terra.
Paralelamente, será montada a armadura, posicionando os estribos, que ficarão amarrados em barras horizontais com o arame recozido, no espaçamento determinado pelo projetista.
As fôrmas da sapata corrida são preparadas também usando tábuas, sarrafos e desmoldante.

Passo 2# – Preparando o concreto

Assim que posicionar a armadura na vala, deve ser iniciado a concretagem, adensando o concreto com uma barra de aço depois do lançamento de cada lata.
Para conseguir eliminar as bolhas de ar, use um vibrador e alise a superfície usando uma colher de pedreiro.
O procedimento de cura úmida de todo o concreto segue durante três dias. Para conseguir manter a umidade constante, é necessário que molhe com água, sem encharcar pelo menos duas vezes ao dia.
No caso de o clima estar muito quente e seco, pode ser preciso adicionar água outras vezes a mais.

Passo 3# – Execução da alvenaria de embasamento

Depois de cerca de 24 horas de realizada a concretagem, pode-se enfim iniciar a execução da alvenaria de embasamento, assentando sobre a sapata os blocos de concreto, com argamassa de assentamento.
Depois de tiver passado os três dias, as fôrmas devem ser retiradas e executa-se uma cinta de amarração, na última fiada da alvenaria de embasamento, antes do início da parede da casa.
Finalmente, é preciso impermeabilizar o baldrame.
E então, aprendeu do nosso passo-a-passo como realizar a sapata corrida? Pois não deixe de usar esse conhecimento a seu favor todas as vezes que precisar, já que esses passos são importantes para a realização de um bom trabalho.

Engenheiro Civil pela Universidade Federal de São Carlos (Ufscar), com ênfase em sistemas estruturais.

Desenvolvimento e compatibilização de projetos no âmbito da construção civil para as principais construtoras do Brasil.

Sócio Diretor da Noves Engenharia.

2018-08-27T22:13:21+00:00