Componentes de uma Alvenaria Estrutural – Amarração

Numa construção em alvenaria estrutural, a firmeza e a estabilidade das paredes deve sempre ser a melhor possível. Para garantir essas características as obras executadas segundo este sistema de construção, existe o que se chama de amarração.

>>> Continue acompanhando os próximos tópicos deste post e saiba como funciona a amarração na alvenaria estrutural.

O que é amarração

Como o próprio nome “amarração” já dá a entender, este componente da alvenaria estrutural está de uma forma ou de outra relacionando com o ato de “amarrar algo”.

Na alvenaria estrutural, a amarração é o procedimento que permite amarrar as paredes entre si, para que elas trabalhem em conjunto e deixem a estrutura mais dura.

Além disso, a amarração também serve para unir os blocos entre si. Esta forma de junção na alvenaria estrutural também é utilizada na união das paredes com o pilar.

Como a amarração surgiu na Construção Civil?

O uso da amarração para a união das paredes surgiu da dificuldade que era enfrentada pelos engenheiros durante a junção das paredes com os pilares.

Antes do surgimento da amarração, para juntar as paredes e o pilar, eram usadas frequentemente pequenas barras de aço colocadas no pilar e na junta da alvenaria. Apesar deste procedimento permitir a união desses dois componentes, a verdade é que ele é bem difícil de executar.

Uma das principais dificuldades que é enfrentada durante o uso do aço para a união dessas estruturas, esta relacionada ao custo da obra.

Por exigir o uso de uma furadeira para perfurar as paredes e o pilar, esse procedimento acaba por acrescentar um gasto a mais na obra.

Tem mais, pelo fato das paredes da alvenaria estrutural e do próprio pilar ser bastante duro, o processo de perfuração se torna bastante cansativo e demorado.

Foi na busca por soluções para esse problema que a amarração surgiu como um processo mais simples para juntar as paredes entre si.

Tendo iniciado primeiramente no exterior, no Brasil esse componente da alvenaria estrutural chegou com tudo.

Em estados como São Paulo e Rio de janeiro, por exemplo, a amarração virou padrão nas construções em alvenaria.

Amarração entre os blocos

Para a junção dos blocos numa alvenaria estrutural não pode ser usado o modelo das juntas a prumo.

Isso quer dizer que neste Sistema de construção os blocos não podem ser colocados “lado a lado” formando uma linha vertical igual para todos, como a imagem a seguir ilustra:

Componentes de uma Alvenaria Estrutural – Amarração

É recomendado que na alvenaria estrutural seja usado para a amarração dos blocos o modelo das “juntas amarradas”.

Neste modelo de amarração dos blocos, as juntas verticais devem apresentar um afastamento de no mínimo 1/3 do comprimento dos blocos, como mostra a imagem abaixo:

Componentes de uma Alvenaria Estrutural – Amarração 1

Em construções planas feitas em alvenaria estrutural, também pode ser empregue a cinta de amarração para “amarrar os blocos entre si”.

Esta cinta funciona como uma espécie de viga feita com tijolos tipo canaleta, dentro dos quais são colocados duas barras de aço e preenchidos com concreto.

A cinta de amarração é colocada na última fiada das paredes, e ela deve rodar toda a alvenaria completamente.

É importante que o engenheiro tenha cuidado no uso da cinta de amarração, lembrando se sempre de utilizar esse elemento apenas para a amarração dos blocos das paredes. Caso seja necessário dar mais capacidade de suporte as paredes, não descarte as vigas convencionais como opção, pois elas são próprias para essa tarefa.

Amarração entre as paredes

A criação da ligação entre as paredes da alvenaria estrutural é muito importante para garantir resistência a edificação. Na Execução de Projeto Estrutural em alvenaria é fundamental que esta ligação das paredes seja feita segundo a amarração direta.

Neste modelo de amarração as paredes são ligadas diretamente por meio dos seus blocos.

Para a realização desta ligação, o engenheiro pode seguir um dos 3 modelos disponíveis:

  • Amarração em L – Para a execução desta amarração das paredes são colocados blocos especiais em todas as fidas dos cantos das paredes. Estes blocos têm dimensões 14 x 34 (largura x comprimento).

Componentes de uma Alvenaria Estrutural – Amarração 2

  • Amarração em T – nesse modelo são utilizados blocos especiais nos encontros das paredes. Numa primeira fiada são colocados blocos com dimensões de 14 x 34, e na próxima fiada com 14 x 54.

Componentes de uma Alvenaria Estrutural – Amarração 3

  • Amarração em Cruz – formando uma “cruz”, nesta amarração as paredes são cruzadas entre si. No cruzamento são colocados blocos de 14 x 54 e na transversal deve ser usado um bloco de saída por lado de 14 x 34.

Componentes de uma Alvenaria Estrutural – Amarração 4

Ainda no sentido transversal, a parede pode ser continuada pelo uso de blocos com dimensões 14 x 34.

Além da amarração direta, também é possível recorrer a amarração indireta para juntar as paredes, como veremos já no próximo tópico.

Amarração entre a alvenaria estrutural e a alvenaria de vedação

A união da alvenaria estrutural e de vedação é gera bastante confusão na construção civil.

A dificuldade nessa etapa deve se principalmente ao fato da alvenaria estrutural apresentar “juntas amarradas”, enquanto que a de vedação conta geralmente com juntas a prumo.

Devido a essa diferença que existe na amarração dos blocos dessas duas estruturas, se as mesmas não forem unidas corretamente, podem surgir frisuras na edificação.

Por conta disso, é recomendado que na amarração dessas duas alvenarias ou paredes sejam colocadas telas metálicas a cada três fiadas. Essas telas são responsáveis por absorver os esforços exercidos pela parede da alvenaria de vedação, evitando desta forma com que os mesmos passem para a alvenaria estrutural.

Esta forma de amarração também costuma a ser usada quando a parede da alvenaria encosta num pilar. Do mesmo jeito que no caso anterior, nessa situação também são colocadas as telas metálicas no pilar para ligar com algumas juntas da parede em alvenaria.

Nesse tipo de situação as telas metálicas/barras de aço precisam de estar grudadas ao pilar. Para isso é necessário que o engenheiro parafuse a tela no pilar, o que acaba por ser bem demorado e cansativo.

Para a aplicação das placas na obra devem ser seguidos Cálculos Estruturais definidos para o projeto por um profissional. Caso não sejam feitos cálculos certeiros, situações de deslocamento da alvenaria em relação ao pilar poderão ser verificadas na edificação.

Você já tem um projeto estrutural profissional para a sua obra? Se não, então não deixe de acessar a nossa página de serviços e obtenha um que cabe no seu orçamento.

Componentes de uma Alvenaria Estrutural – Amarração

Numa construção em alvenaria estrutural, a firmeza e a estabilidade das paredes deve sempre ser a melhor possível. Para garantir essas características as obras executadas segundo este sistema de construção, existe o que se chama de amarração.

>>> Continue acompanhando os próximos tópicos deste post e saiba como funciona a amarração na alvenaria estrutural.

O que é amarração

Como o próprio nome “amarração” já dá a entender, este componente da alvenaria estrutural está de uma forma ou de outra relacionando com o ato de “amarrar algo”.

Na alvenaria estrutural, a amarração é o procedimento que permite amarrar as paredes entre si, para que elas trabalhem em conjunto e deixem a estrutura mais dura.

Além disso, a amarração também serve para unir os blocos entre si. Esta forma de junção na alvenaria estrutural também é utilizada na união das paredes com o pilar.

Como a amarração surgiu na Construção Civil?

O uso da amarração para a união das paredes surgiu da dificuldade que era enfrentada pelos engenheiros durante a junção das paredes com os pilares.

Antes do surgimento da amarração, para juntar as paredes e o pilar, eram usadas frequentemente pequenas barras de aço colocadas no pilar e na junta da alvenaria. Apesar deste procedimento permitir a união desses dois componentes, a verdade é que ele é bem difícil de executar.

Uma das principais dificuldades que é enfrentada durante o uso do aço para a união dessas estruturas, esta relacionada ao custo da obra.

Por exigir o uso de uma furadeira para perfurar as paredes e o pilar, esse procedimento acaba por acrescentar um gasto a mais na obra.

Tem mais, pelo fato das paredes da alvenaria estrutural e do próprio pilar ser bastante duro, o processo de perfuração se torna bastante cansativo e demorado.

Foi na busca por soluções para esse problema que a amarração surgiu como um processo mais simples para juntar as paredes entre si.

Tendo iniciado primeiramente no exterior, no Brasil esse componente da alvenaria estrutural chegou com tudo.

Em estados como São Paulo e Rio de janeiro, por exemplo, a amarração virou padrão nas construções em alvenaria.

Amarração entre os blocos

Para a junção dos blocos numa alvenaria estrutural não pode ser usado o modelo das juntas a prumo.

Isso quer dizer que neste Sistema de construção os blocos não podem ser colocados “lado a lado” formando uma linha vertical igual para todos, como a imagem a seguir ilustra:

É recomendado que na alvenaria estrutural seja usado para a amarração dos blocos o modelo das “juntas amarradas”.

Neste modelo de amarração dos blocos, as juntas verticais devem apresentar um afastamento de no mínimo 1/3 do comprimento dos blocos, como mostra a imagem abaixo:

Em construções planas feitas em alvenaria estrutural, também pode ser empregue a cinta de amarração para “amarrar os blocos entre si”.

Esta cinta funciona como uma espécie de viga feita com tijolos tipo canaleta, dentro dos quais são colocados duas barras de aço e preenchidos com concreto.

A cinta de amarração é colocada na última fiada das paredes, e ela deve rodar toda a alvenaria completamente.

É importante que o Engenheiro tenha cuidado no uso da cinta de amarração, lembrando se sempre de utilizar esse elemento apenas para a amarração dos blocos das paredes. Caso seja necessário dar mais capacidade de suporte as paredes, não descarte as vigas convencionais como opção, pois elas são próprias para essa tarefa.

Amarração entre as paredes

A criação da ligação entre as paredes da alvenaria estrutural é muito importante para garantir resistência a edificação. Na Execução de Projeto Estrutural em alvenaria é fundamental que esta ligação das paredes seja feita segundo a amarração direta.

Neste modelo de amarração as paredes são ligadas diretamente por meio dos seus blocos.

Para a realização desta ligação, o engenheiro pode seguir um dos 3 modelos disponíveis:

  • Amarração em L – Para a execução desta amarração das paredes são colocados blocos especiais em todas as fidas dos cantos das paredes. Estes blocos têm dimensões 14 x 34 (largura x comprimento).
  • Amarração em T – nesse modelo são utilizados blocos especiais nos encontros das paredes. Numa primeira fiada são colocados blocos com dimensões de 14 x 34, e na próxima fiada com 14 x 54.
  • Amarração em Cruz – formando uma “cruz”, nesta amarração as paredes são cruzadas entre si. No cruzamento são colocados blocos de 14 x 54 e na transversal deve ser usado um bloco de saída por lado de 14 x 34.

Ainda no sentido transversal, a parede pode ser continuada pelo uso de blocos com dimensões 14 x 34.

Além da amarração direta, também é possível recorrer a amarração indireta para juntar as paredes, como veremos já no próximo tópico.

Amarração entre a alvenaria estrutural e a alvenaria de vedação

A união da alvenaria estrutural e de vedação é gera bastante confusão na construção civil.

A dificuldade nessa etapa deve se principalmente ao fato da alvenaria estrutural apresentar “juntas amarradas”, enquanto que a de vedação conta geralmente com juntas a prumo.

Devido a essa diferença que existe na amarração dos blocos dessas duas estruturas, se as mesmas não forem unidas corretamente, podem surgir frisuras na edificação.

Por conta disso, é recomendado que na amarração dessas duas alvenarias ou paredes sejam colocadas telas metálicas a cada três fiadas. Essas telas são responsáveis por absorver os esforços exercidos pela parede da alvenaria de vedação, evitando desta forma com que os mesmos passem para a alvenaria estrutural.

Esta forma de amarração também costuma a ser usada quando a parede da alvenaria encosta num pilar. Do mesmo jeito que no caso anterior, nessa situação também são colocadas as telas metálicas no pilar para ligar com algumas juntas da parede em alvenaria.

Nesse tipo de situação as telas metálicas/barras de aço precisam de estar grudadas ao pilar. Pra isso é necessário que o engenheiro parafuse a tela no pilar, o que acaba por ser bem demorado e cansativo.

Para a aplicação das placas na obra devem ser seguidos Cálculos Estruturais definidos para o projeto por um profissional. Caso não sejam feitos cálculos certeiros, situações de deslocamento da alvenaria em relação ao pilar poderão ser verificadas na edificação.

Você já tem um projeto estrutural profissional para a sua obra? Se não, então não deixe de acessar a nossa página de serviços e obtenha um que cabe no seu orçamento.

2019-01-16T17:50:45-03:00