Principais sistemas de contenção

Com a ocupação cada vez maior dos centros urbanos, os sistemas de contenção se tornaram soluções praticamente indispensáveis, especialmente, para edificações que necessitam de partes do subsolo para a construção de galerias e estacionamentos.

Eles também são utilizados para a construção de shoppings, centro comerciais e universidades. Geralmente são aplicados justamente quando há a limitação de espaço.

Trabalhar com esse tipo de estrutura é algo que requer muito cuidado. Isso porque os profissionais da obra estarão lidando com o solo, que pode sofrer variações drásticas e em pouco tempo, comprometendo assim a segurança na hora de implementar esse sistema.

Logo, é preciso ficar por dentro dos vários tipos de sistemas de contenção. Um projeto mal executado ou a escolha errada do método irá prejudicar todo o andamento da obra.

Nesse artigo você saberá um pouco mais sobre as alternativas mais utilizadas no mercado, suas vantagens e quando elas são mais indicadas.

Principais sistemas de contenção

PRINCIPAIS SISTEMAS DE CONTENÇÃO

Tipos de sistemas de contenção

Atualmente, existem vários tipos de sistemas de contenção. Eles podem ser classificados como contidas, em talude, provisórias, escavações contidas ou não, definitivas, rígidas, flexíveis, escoradas e não escoradas.

Cada uma dessas estruturas possui processos de execução diferenciados e são indicadas para projetos específicos.

Por isso, antes de começar o seu, é necessário conhecer à fundo essas técnicas, até mesmo para entender melhor qual pode atender as suas necessidades e, ao mesmo tempo, se enquadrar dentro do seu orçamento.

Abaixo você verá quais são os principais tipos de sistemas de contenção, bem como o processo de execução e os principais cuidados a serem tomados em cada um deles.

Solo Grampeado

Esse sistema se baseia em aproveita toda a resistência do solo, por meio da utilização de um reforço. Para que essa estrutura gere bons resultados, é necessário realizar investigações geotécnicas, acompanhar a execução e uma avaliação de desempenho.

Também e preciso fazer sondagens sobre a resistência dos solos, para verificar a aplicabilidade desse método. A instalação desse sistema tem início com o corte do solo conforme as medidas e geometria de projeto.

A altura de escavação é determinada em cada etapa, levando em conta vários fatores, tais como a inclinação e o tipo de terreno. Já na fase de maior importância do processo mais grampos são instalados junto com o concreto armado.

Gabião

Esse é um sistema de contenção que utiliza pedras fixadas em gaiolas e tem grandes dimensões. Ele é uma estrutura relativamente fácil de ser montada.

O sistema de contenção do tipo Gabião é indicado tanto para projetos de pequeno porte, como de grande porte sendo, inclusive, aplicado em projetos residenciais. Basicamente, são colocado vigas e telas flexíveis que seguem as predefinições do projeto.

Em seguida, essas cabines formadas pelas telas e as vigas são preenchidas com pedras. Existem vários tipos de pedras naturais ou não que podem ser utilizadas nesse sistema.

Estacas Justapostas

Esse é um dos sistemas de contenção mais populares dentro do setor de Construção Civil. Nele, as estacas espaçadas são colocadas de maneira justapostas, com a presença do solo entre o final de uma estaca e o início de outra. Geralmente, esse espaçamento tende a ter entre 2 e 3 diâmetros.

O primeiro passo para a implementação desse método e a colocação das estacas conforme o projeto.  Elas precisam ser inseridas com precisão, uma vez que tem impacto diretamente na estrutura. Depois, é feita a viga de coroamento de cada uma delas.

Esse elemento tem como principal objetivo uniformizar os deslocamentos da contenção. Depois que a viga de coroamento é curada, a escavação parcial do terreno tem início.

Conforme mais solo é escavado, será necessário a utilização de estrocamentos ou ancoragens feitas de metal ou madeira. As estroncas só são utilizadas em projetos de pequena largura. Elas tem função passivas com grampos, ou ativas com tirantes.

Já as ancoragens precisam ser coladas nas cotas conforme as orientações do projeto, que precisa ser desenvolvido por um engenheiro civil ou arquiteto. Depois que elas são feitas, também é executada uma vida de ancoragem. Ela pode ser tanto de concreto armado quanto de metal.

Em paralelo a escavação parcial do terreno continua a ser feita. Ela precisa ser feita conforme especificações do projeto, até que todas as ancoragens sejam completadas. Depois que a escavação e ancoragem estão completas, são colocadas das vigas, fundações, pilares e lajes, que ajudam a fazer o travamento horizontal da estrutura de contenção.

O próximo passo é faze o preenchimento do vão que fica entre as estacas e subsolos acima do nível freático.

Importante, durante a construção desses sistemas de contenção, também é preciso realizar a execução de um sistema de drenagem, que de conta de drenar a fala e da parte maciça.

Em cada nível de subsolo, é feita a canaleta de pé e liga-se ele ao sistema de drenagem da obra. dessa forma, a água retirada da parte maciça é retirada de forma correta.

Contenções Em Perfis Metálicas

Esse também é um dos sistemas de contenção que pode ser usado em vários projetos na Construção Civil. Nesse método, são utilizados perfis com 6 a 12 m de comprimento. Eles são cortados e soldados conforme a demanda do projeto para formar diferentes estruturas que visam otimizar o desempenho do sistema de contenção.

Primeiramente os perfis metálicos são cravados conforme o projeto. Em seguida, é realizada a concretagem da viga que coroa os perfis, uniformizando todo o sistema.

Depois que a viga de coroamento é executada e o concreto curado, a escavação parcial do terreno é iniciada, para depois ser feita a ancoragem. Nos sistemas de contenção que levam perfis metálicos, as ancoragens são colocadas em vigas de ancoragens de concreto e feitas entre as estruturas metálicas.

Em paralelo a escavação, é realizada a aplicação da cortina armada, para que o geocomposto seja fixado.

Esses são, portanto, os principais sistemas de contenção. Compreender como cada um deles funciona é o primeiro passo para a execução de um projeto seguro. O ideal é que você fale com um engenheiro civil ou arquiteto para que o profissional possa avaliar todas as demandas da sua obra e indicar qual o método mais indicado.

Gostou desse artigo? Então não esqueça de deixar o seu comentário.

2018-08-20T21:18:17-03:00