Quais as principais mudanças da ISO/TS 16949:2009 para a IATF 16949:2016?

Quais as principais mudanças da ISO/TS 16949:2009 para a IATF 16949:2016?

Já não é novidade para quem atua no mercado automotivo que a ISO/TS 16949:2009 sofreu uma revisão em 2016, migrando para a IATF 16949:2016. Porém, você sabe o que muda entre as versões? Porque usar a IATF 16949 e não a ISO 9001?

Antes de mais nada é importante ressaltar que a ISO 9001 tem por objetivo assegurar a capacidade da organização em prover consistentemente produtos e serviços que atendam aos requisitos do cliente, estatuários e regulamentares (quando aplicável).

Desta forma, ela valida a robustez do sistema de qualidade da companhia como um todo.

Entretanto, através dos OEMs (Original Equipment Manufacturer), surgiu a necessidade de desenvolver uma norma que fosse focada na indústria automotiva, alinhando os sistemas de qualidade e onde fosse possível contemplar requisitos muito específicos a este segmento.

Surge então a ISO/TS 16949, como complemento a ISO 9001.

A utilização da ISO/TS 16949 trouxe grandes benefícios ao longo do tempo, tais como a transparência nos processos internos, economia de tempo e recursos, tomada de ações preventivas (antes de ocorrerem os erros) e proteção ao cliente quanto a problemas de Qualidade.

Com a revisão da ISO/TS 16949:2009, passamos então a utilizar a IATF 16949:2016. Desta forma, há um aprimoramento no sistema de gestão da qualidade, focado no mercado automotivo.

As principais alterações que ocorreram foram:

  • Incorporação de alguns requisitos específicos do cliente (CERs) nas Montadoras (OEMs) a fim de possibilitar a redução da complexidade, a quantidade de CSRs para implantação pelos fornecedores e o esforço de auditoria para os Órgãos de Certificação (CB);
  • Melhoria nos requisitos de rastreabilidade de produtos, para que seja possível suportar mudanças regulatórias recentes;
  • Inclusão de requisitos para produtos com software integrado;
  • Inclusão de processo de gestão de garantia
  • Acréscimo de requisitos de segurança para peças e processos (as organizações devem ter processos documentados para gerenciar produtos e processos relacionados à segurança do produto);
  • Clarificação de requisitos para gestão e desenvolvimento de fornecedores;
  • Adição de requisitos de responsabilidade corporativa;
  • Process Owners: A direção da empresa deve assegurar que os Process Owners (em tradução livre, ‘Donos do Processo’) tenham autoridade e responsabilidade pelas atividades e resultados dos processos que administram.

Precisando de ajuda com seu sistema de qualidade? Fale conosco.

Veja este e outros artigos técnicos em nosso site.

2018-08-27T18:10:22-03:00